O Futuro Primeiro Ministro de Portugal

Por vezes tenho a mania de olhar para a minha bola de cristal e ver o futuro. É certo que por vezes me engano (embora não aconteça muitas vezes) e oxalá que desta vez me engane mesmo; pois o que a minha bola de cristal me diz é que corremos o risco de ter como Primeiro Ministro, dentro de poucos anos, Pedro Passos Coelho.
in Jornal Região Sul, 29 de Janeiro 2010 

(mais…)

Comentário às Propostas de Alteração do Sistema Eleitoral Para a Assembleia da República,por parte de PS e PSD e respectiva simulação de como ficariam distribuídos os assentos parlamentares

Proposta Alteração do Sistema Eleitoral para a Assembleia da República do PS e PSD

1. O Sistema Eleitoral Português

No que respeita às eleições para a Assembleia da República (AR), o sistema utilizado é o de Representação Proporcional (RP) segundo a fórmula da média mais alta de Hondt para calcular a forma como são ontabilizados os votos para a respectiva conversão em mandatos parlamentares. O País encontra-se dividido em 22 círculos eleitorais: 18 círculos que correspondem aos Distritos do Continente, 2 círculos correspondentes às Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores e mais 2 outros círculos correspondentes aos da Emigração, o da Europa e o “Resto do Mundo”. O número de mandatos a atribuir a cada um destes círculos é definido pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) cerca de aproximadamente três meses antes de cada acto eleitoral, em que as únicas excepções são os círculos da emigração, aos quais, e segundo legislação em vigor, são atribuídos dois mandatos a cada um dos dois círculos. Essa distribuição prévia dos mandatos tem por base o número de cidadãos eleitores inscritos nos cadernos do recenseamento eleitoral e é feita segundo o método da média mais alta de Hondt, sendo que, e de acordo com a constituição e a lei eleitoral, nenhum círculo pode eleger menos de dois mandatos.

pdf icon Proposta Alteração do Sistema Eleitoral para a Assembleia da República do PS e PSD

Um caos Político

Imageine o seguinte cenário, como resultado das eleições legislativas de Outubro de 2009: o PS alcança o maior número de votos, mas o
PSD consegue o maior número de deputados – consequência do sistema eleitoral. O poliotólogo José António Bourdain estudou várias sondagens, indicativas do sentido de voto nas legislativas de Outubro próximo, e afirma que este cenário não só é porssível, como está mais próximo do que nunca de se concretizar.

Focus, 483/2009

pdf icon Um caos Político

E se o PS for o mais votado e o PSD ganha?

Estudo. Com a revisão dos cadernos eleitorais, os círculos de Bragança, Castelo Branco e Lisboa podem perder um deputado cada um nas próximas legislativas. E, se a votação for mais próxima entre PS e PSD, os socialistas saem prejudicados. Os dados do estudo são surpreendentes

PS até pode ser partido mais votado mas fica com cinco deputados a menos

Pode o PS ser o partido mais votado nas urnas e, mesmo assim, perder as eleições legislativas de 2009 para o PSD? A resposta está num estudo de José António Bourdain, académico do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, que garante que a hipótese existe mesmo, mas pressupõe que os sociais-democratas estejam mais fortes e próximos dos scores dos socialistas.

Diário de Noticias, Segunda-feira 26 de Janeiro de 2009

pdf icon Alternativas do Sistema Eleitoral

PSD defende redução de 230 para 181 deputados

O PS está contra uma redução tão “drástica”.

O PSD entregou ontem o seu projecto de lei para alterar o sistema de eleição dos deputados à Assembleia da República, com algumas metas-surpresas: o partido de Marques Mendes quer reduzir drasticamente o número de parlamentares, de 230 para 181, e pretende criar os círculos uninominais.

pdf icon PSD defende redução de 230 para 181 deputados – parte 1
pdf icon PSD defende redução de 230 para 181 deputados – parte 2